Alunos do ‘Grafitto’ participam de palestra na Semana da Luta Antimanicomial no CAPSIJ

Debate, café da tarde e graffiti marcam a atividade no Centro de Atenção Psicossocial Infantil Jovem

Na última segunda-feira(14), os alunos do “Grafitto” participaram da palestra sobre a Luta Antimanicomial na semana da comemoração do tema A atividade foi realizada no Centro de Assistência Psicossocial Infantil Jovem (CAPSIJ), juntamente com os outros alunos da instituição visitada.

Na oportunidade, os alunos realizaram um debate acerca do assunto tratado. Os integrantes do CAPSIJ relataram o cotidiano no centro, sob o controle dos plantões psicológicos oferecidos pelo programa.

A assistente de coordenação do “Grafitto”, Nathália Antonialli, fala sobre a importância da palestra para os alunos do projeto.

“Nós fizemos esta parceria na atividade com o CAPSIJ para ensinar aos alunos o que este serviço faz, ou seja, é um local de cuidado com qualquer tipo de defasagem psíquica. A semana de luta antimanicomial serve para incentivar a militância por uma sociedade sem manicômios, sob a crença em tratamentos que não isolem pacientes, mas que os coloque em condições adequadas para o tratamento,” diz.

Além da palestra, os alunos do “Grafitto” deixaram marcas da passagem pelo CAPSIJ. Em uma das paredes do local, os alunos fizeram um graffiti com o nome do centro como forma de gratidão pela recepção.

Semana da Luta Antimanicomial

O dia 18 de maio marca, no Brasil, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. Esta data, instaurada em 1987 na cidade de Bauru, durante o Congresso de Trabalhadores de Serviços de Saúde Mental, deu visibilidade ao Movimento da Luta Antimanicomial, adotando o lema “Por uma sociedade sem manicômios” e inaugurando uma nova trajetória da proposta de Reforma Psiquiátrica Brasileira. Seus objetivos são, desde então, propor não só mudanças no cenário da Atenção à Saúde Mental, mas, principalmente, questionar as relações de estigma e exclusão, que social e culturalmente se estabeleceram para as pessoas que vivem e convivem com os “transtornos mentais”.

Sobre o projeto

Com o objetivo de levar e fomentar cultura junto às escolas, o “Graffito” oferece gratuitamente aulas de graffiti para 100 crianças e adolescentes de 7 a 15 anos matriculados na rede municipal de ensino de Leme. Os jovens beneficiados também recebem lanche após cada aula e uniforme.

A iniciativa faz, ainda, uso da metodologia de controle de talentos, incentivando a frequência e o bom comportamento escolar.

O “Grafitto” tem o patrocínio da empresa TS Tech, por meio da renúncia fiscal do ICMS (Imposto sobre Circulação de Produtos e Serviços) garantido pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC-ICMS). O projeto conta com a parceria das Escolas Estaduais Newton Prado, Profª. Altimira Pincke, Profª. Maria Joaquina de Arruda, Prof. Arlindo Favaro e das Escolas Municipais Aparecida Taufic Nassif M. Naif, Helaine Kock Gomes, Ruth Zelina e Raquel dos Anjos Marcelino.