Projeto social leva graffiti como arte e cultura para jovens de Leme

‘Graffito’ também promove o acompanhamento escolar dos 100 alunos beneficiados pela iniciativa

Desde agosto deste ano, a vida de 100 crianças e adolescente de Leme ganhou mais cor. Graças ao projeto “Graffito”, alunos da rede municipal de ensino estão descobrindo a arte de rua que transforma cenários e leva charme aos muros das cidades.

Ao longo de um ano, a iniciativa vai trabalhar, de forma gratuita, o graffiti através de quatro temas: diversidade étnica, visibilidade de meninas e mulheres na arte de rua, cuidados com o meio ambiente e esporte para promoção da saúde.

“Trata-se de uma proposta muito legal, que traz diferentes linguagens, vertentes e artistas para compartilhar seus traços, personalidades e estilos, trabalhando com temas transversais. Estamos muito satisfeitos com os resultados já alcançados e temos certeza que vamos colher frutos ainda melhores”, conta Mariana Souza, proponente do projeto.

Além de promover a expansão da arte e da imaginação, a proposta também abrange o acompanhamento escolar do público. A assistente de coordenação da iniciativa, Nathalia Antonialli, conta que as crianças são orientadas e avaliadas simultaneamente na escola e no centro de atividades do projeto. “São trabalhados aspectos como frequência, comportamento e desempenho escolar”, descreve.

A administração deste desempenho é realizada através de uma brincadeira chamada “controle de talentos”. Nela, cada aluno recebe quatro “talentos” no início das atividades, como incentivo. O objetivo é acumular “talentos” ao longo dos bimestres. “Como consequência de seu comportamento e rendimento na escola e no centro de atividades, a criança ganhará ou perderá estes ‘talentos’. No fim do ano letivo, é realizada uma premiação oficial, com a entrega de medalhas personalizadas”, ressalta.

“A arte, ao lado da educação, tem o poder de transformar. Ela também ajuda a criar laços de amizade e envolvimento entre os alunos”, conclui.

Sobre o projeto

O principal objetivo do “Graffito” é levar e fomentar cultura junto às escolas da cidade. As 100 crianças e adolescentes de sete a 15 anos, regularmente matriculadas na rede municipal de ensino, também recebem, gratuitamente, lanche após cada aula e uniforme.

As aulas são ministradas às terças e quintas-feiras, no Centro de Referência do Adolescente I (CRA I), das 8h às 9h30; no Centro Comunitário, das 10h às 11h30; no Centro de Referência do Adolescente II (CRA II), das 13h às 14h30 e no Centro de Referência do Jovem (CRJ), das 15h às 16h30.

O “Grafitto” tem o apoio da Terra Incentivos Fiscais e o patrocínio da empresa TS Tech, por meio da renúncia fiscal do ICMS (Imposto sobre Circulação de Produtos e Serviços) garantido pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (Proac). O projeto conta com a parceria das Escolas Estaduais Newton Prado, Profª. Altimira Pincke, Profª. Maria Joaquina de Arruda, Prof. Arlindo Favaro e das Escolas Municipais Aparecida Taufic Nassif M. Naif, Helaine Kock Gomes, Ruth Zelina e Raquel dos Anjos Marcelino.